quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Era Vargas


Era Vargas é o nome que se dá ao período em que Getúlio Vargas governou o Brasil por 15 anos, de forma contínua (de 1930 a 1945). Esse período foi um marco na história brasileira, em razão das inúmeras alterações que Getúlio Vargas fez no país, tanto sociais quanto econômicas.
A Era Vargas, teve início com a Revolução de 1930 onde expulsou do poder a oligarquia cafeeira, dividindo-se em três momentos:
  • Governo Provisório -1930-1934
  • Governo Constitucional – 1934-1937
  • Estado Novo – 1937-1945

Revolução de 1930

Até o ano de 1930 vigorava no Brasil a República Velha, conhecida hoje como o primeiro período republicano brasileiro. Como característica principal centralizava o poder entre os partidos políticos e a conhecida aliança política "café-com-leite" (entre São Paulo e Minas Gerais), a República Velha tinha como base a economia cafeeira e, portanto, mantinha fortes vínculos com grandes proprietários de terras.
De acordo com as políticas do "café-com-leite", existia um revezamento entre os presidentes apoiados pelo Partido Republicano Paulista (PRP), de São Paulo, e o Partido Republicano Mineiro (PRM), de Minas Gerais. Os presidentes de um partido eram influenciados pelo outro partido, assim, dizia-se: nada mais conservador, que um liberal no poder.

O Golpe do Exército

Em março de 1930, foram realizadas as eleições para presidente da República.  Eleição esta que deu a vitória ao candidato governista Júlio Prestes. Entretanto, Prestes não tomou posse. A Aliança Liberal (nome dado aos aliados mineiros, gaúchos, e paraibanos) recusou-se a aceitar a validade das eleições, alegando que a vitória de Júlio Prestes era decorrente de fraude. Além disso, deputados eleitos em estados onde a Aliança Liberal conseguiu a vitória, não tiveram o reconhecimento dos seus mandatos. Os estados aliados, principalmente o Rio Grande do Sul planejam então, uma revolta armada.  A situação acaba agravando-se ainda mais quando o candidato à vice-presidente de Getúlio Vargas, João Pessoa, é assassinado em Recife, capital de Pernambuco. Como os motivos dessa morte foram duvidosos a propaganda getulista aproveitou-se disso para usá-la em seu favor, atribuindo a culpa à oposição, além da crise econômica acentuada pela crise de 1929; a indignação, deste modo, aumentou, e o Exército – que por sua vez era desfavorável ao governo vigente desde o tenentismo – começou a se mobilizar e formou uma junta governamental composta por generais do Exército. No mês seguinte, em três de novembro, Júlio Prestes foi deposto e fugiu junto com Washington Luís e o poder então foi passado para Getúlio Vargas pondo fim à República Velha.

Governo provisório (1930 - 1934)

O Governo Provisório teve como objetivo reorganizar a vida política do país. Neste período, o presidente Getúlio Vargas deu início ao processo de centralização do poder, eliminando os órgãos legislativos (federal, estadual e municipal).
Diante da importância que os militares tiveram na estabilização da Revolução de 30, os primeiros anos da Era Vargas foram marcados pela presença dos “tenentes” nos principais cargos do governo e por esta razão foram designados representantes do governo para assumirem o controle dos estados, tal medida tinha como finalidade anular a ação dos antigos coronéis e sua influência política regional.
Esta medida consolidou-se em clima de tensão entre as velhas oligarquias e os militares interventores. A oposição às ambições centralizadoras de Vargas concentrou-se em São Paulo, onde as oligarquias locais, sob o apelo da autonomia política e um discurso de conteúdo regionalista, convocaram o “povo paulistano” a lutar contra o governo Getúlio Vargas, exigindo a realização de eleições para a elaboração de uma Assembléia Constituinte. A partir desse movimento, teve origem a chamada Revolução Constitucionalista de 1932.
Mesmo derrotando as forças oposicionistas, o presidente convocou eleições para a Constituinte. No processo eleitoral, devido o desgaste gerado pelos conflitos paulistas, as principais figuras militares do governo perderam espaço político e, em 1934 uma nova constituição foi promulgada.
A Carta de 1934 deu maiores poderes ao poder executivo, adotou medidas democráticas e criou as bases da legislação trabalhista. Além disso, sancionou o voto secreto e o voto feminino. Por meio dessa resolução e o apoio da maioria do Congresso, Vargas garantiu mais um mandato.

Governo Constitucional (1934 – 1937)

Nesse segundo mandato, conhecido como Governo Constitucional, a altercação política se deu em volta de dois ideais primordiais: o fascista – conjunto de ideias e preceitos político-sociais totalitário introduzidos na Itália por Mussolini –, defendido pela Ação Integralista Brasileira (AIB), e o democrático, representado pela Aliança Nacional Libertadora (ANL), era favorável à reforma agrária, a luta contra o imperialismo e a revolução por meio da luta de classes.
A ANL aproveitando-se desse espírito revolucionário e com as orientações dos altos escalões do comunismo soviético, promoveu uma tentativa de golpe contra o governo de Getúlio Vargas. Em 1935, alguns comunistas brasileiros iniciaram revoltas dentro de instituições militares nas cidades de Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE).    Devido à falha de articulação e adesão de outros estados, a chamada Intentona Comunista, foi facilmente controlada pelo governo.
Getúlio Vargas, no entanto, cultivava uma política de centralização do poder e, após a experiência frustrada de golpe por parte da esquerda utilizou-se do episódio para declarar estado de sítio, com essa medida, Vargas, perseguiu seus oponentes e desarticulou o movimento comunista brasileiro. Mediante a “ameaça comunista”, Getúlio Vargas conseguiu anular a nova eleição presidencial que deveria acontecer em 1937. Anunciando outra calamitosa tentativa de golpe comunista, conhecida como Plano Cohen, Getúlio Vargas anulou a constituição de 1934 e dissolveu o Poder Legislativo. A partir daquele ano, Getúlio passou a governar com amplos poderes, inaugurando o chamado Estado Novo.

Estado Novo (1937 – 1945)

No dia 10 de novembro de 1937, era anunciado em cadeia de rádio pelo  presidente Getúlio Vargas o Estado Novo. Tinha início então, um período de ditadura na História do Brasil.
Sob o pretexto da existência de um plano comunista para a tomada do poder (Plano Cohen) Vargas fechou o Congresso Nacional e impôs ao país uma nova Constituição, que ficaria conhecida depois como "Polaca" por ter sido inspirada na Constituição da Polônia, de tendência fascista.
O Golpe de Getúlio Vargas foi organizado junto aos militares e teve o apoio de grande parcela da sociedade, uma vez que desde o final de 1935 o governo reforçava sua propaganda anti comunista, alarmando a classe média, na verdade preparando-a para apoiar a centralização política que desde então se desencadeava. A partir de novembro de 1937 Vargas impôs a censura aos meios de comunicação, reprimiu a atividade política, perseguiu e prendeu seus inimigos políticos, adotou medidas econômicas nacionalizantes e deu continuidade a sua política trabalhista com a criação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), publicou o Código Penal e o Código de Processo Penal, todos em vigor atualmente. Getúlio Vargas foi responsável também pelas concepções da Carteira de Trabalho, da Justiça do Trabalho, do salário mínimo, e pelo descanso semanal remunerado.
O principal acontecimento na política externa foi a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial contra os países do Eixo, fato este, responsável pela grande contradição do governo Vargas, que dependia economicamente dos EUA e possuía uma política semelhante à alemã.  A derrota das nações nazi fascistas foi a brecha que surgiu para o crescimento da oposição ao governo de Vargas. Assim, a batalha pela democratização do país ganhou força. O governo foi obrigado a indultar os presos políticos, além de constituir eleições gerais, que foram vencidas pelo candidato oficial, isto é, apoiado pelo governo, o general Eurico Gaspar Dutra.
Chegava ao fim a Era Vargas, mas não o fim de Getúlio Vargas, que em 1951 retornaria à presidência pelo voto popular.

fonte: http://www.sohistoria.com.br

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Avaliação - História - 9º ano - 2º Bimestre - 2017

1 Para conter os efeitos da depressão que ocorreu após a Crise de 1929, o governo dos Estados Unidos, comandado por Franklin Roosevelt, lançou o programa intitulado
a) Pacto de Varsóvia
b) New Deal
c) Acordo de 1931
d) Projeto Manhattan

2 Observe a imagem:
O american way of life (ou 'estilo de vida americano') foi desenvolvido na década de 20, amparado pelo bem-estar econômico que desfrutavam os Estados Unidos. O sinal mais significativo deste way of life é o consumismo, materializado na compra exagerada de eletrodomésticos e veículos.
Os anos de 1920 ficaram conhecidos como
a) anos rebeldes.
b) anos felizes
c) anos passados
d) anos cruéis.

3 Observe a imagem:
A foto acima mostra dois grandes personagens históricos do século XX, que são Mussolini da Itália e Hitler da Alemanha, que estão diretamente ligados
a) a Revolução Russa.
b) aos regimes totalitários denominados Fascismo e Nazismo
c) a quebra da bolsa de valores de Nova Iorque.
d) a luta por melhores salários dos operários americanos no período entre guerras.

4 Sobre a "Crise de 1929", podemos indicar que
a) iniciou nos Estados Unidos e se alastrou por todo o mundo devido à interdependência entre a economia americana e a de numerosos outros países, principalmente aqueles que recebiam empréstimos americanos.
b) apesar da queda da Bolsa de Nova York, o capital financeiro não foi atingido pela crise. A venda de ações foi mantida impedindo a falência de investidores e bancos.
c) apesar de seu afastamento da economia capitalista, a União Soviética também foi afetada pela crise de 1929.
d) iniciou-se no Brasil, e espalhou-se rapidamente pelo mundo.

5 Observe:
A imagem retrata uma situação em que o homem tenta vender por pouco dinheiro um carro, porém não encontra compradores, devido a grave crise que se instalou a partir da quebra da bolsa de Nova York. Esse período ficou conhecido como
a) Grande Sofrimento.
b) Grande Satisfação.
c) Grande Indignação.
d) Grande Depressão.

6 “O fascismo não é apenas fundador de instituições. É também educador. Pretende reconstruir o homem, seu caráter, sua fé. Para atingir esse objetivo, o fascismo conta com a autoridade e disciplina capazes de penetrar no espírito das pessoas e aí reinar completamente.” Benito Mussolini
O governo fascista italiano empenhou-se em fazer da educação pública um instrumento capaz de impor sua doutrina para toda a sociedade. O ideal básico da doutrina fascista era
a) submeter o indivíduo à total obediência ao Estado, começando com a educação infantil e com a militarização da vida escolar.
b) promover, para os jovens, competições esportivas e desfiles paramilitares, visando exaltar a capacidade intelectual dos indivíduos.
c) a transformação das instituições educacionais, voltadas para a excelência do conhecimento acadêmico e intelectual.
d) propagar a educação física e a preparação militar, capazes de dotar o indivíduo de uma mente analítica.

7 Entre os fatores que caracterizaram o nazismo e outros governos totalitários na Europa estão, exceto:
a) concentração de poder nas mãos de uma pessoa ou pequeno grupo de pessoas, organizadas em um partido único.
b) extinção das liberdades e dos direitos individuais e coletivos, repressão sem limites com controle da vida pública e privada das pessoas.
c) uso da comunicação de massa para exaltar o governo e a figura do líder e difundir a ideologia do partido, perseguição implacável aos opositores do regime.
d) tratamento tolerante e respeitoso dispensado contra as minorias como homossexuais, imigrantes, ciganos e judeus.

8 Observe esta imagem:
 
A charge retratada na imagem faz uma comparação entre as crises do capitalismo ocorrida em 1929 e em 2008. Observando-a, de acordo com o contexto da época, podemos concluir que
a) ambas as crises tiveram o mesmo desfecho.
b) na crise de 1929, foram afetadas apenas as classes mais altas.
c) em ambas as crises, houve muito desemprego.
d) não houveram problemas com desempregos em ambas as crises.

9 Uma família isolada mudava-se de suas terras. O pai pedira dinheiro emprestado ao banco e agora o banco queria as terras. A companhia das terras quer tratores em vez de pequenas famílias nas terras. Se esse trator produzisse os compridos sulcos em nossa própria terra, a gente gostaria do trator, gostaria dele como gostava das terras quando ainda eram da gente. Mas esse trator faz duas coisas diferentes: traça sulcos nas terras e expulsa-nos dela. Não há quase diferença entre esse trator e um tanque de guerra. Ambos expulsam os homens que lhes barram o caminho, intimidando-os, ferindo-os."
(John Steinbeck, AS VINHAS DA IRA, 1972) 
De acordo com o texto, a situação do camponês norte-americano após a crise de 1929 pode ser caracterizada pelo fato
a) dos camponeses ficarem arruinados, desempregados e em condições totalmente precárias.
b) do aumento da oferta de emprego no campo.
c) do crescente investimento nas atividades agrícolas durante os anos de 1920.
d) dessa crise não atingir o campo, somente as fábricas nas cidades.

10 A grave crise econômico-financeira que atingiu o mundo capitalista, na década de 30, tem suas origens nos Estados Unidos. A primeira medida governamental que procurou, internamente, solucionar essa crise foi o "New Deal", adotado por Roosevelt, em 1933. Uma das medidas principais desse programa foi o(a)
a) encerramento dos investimentos governamentais em obras de infra-estrutura.
b) fim do planejamento e da intervenção do Estado na economia.
c) imediata suspensão da emissão monetária.
d) política de estímulo à criação de novos empregos.

11 No dia 8 de maio de 1945 deu-se a completa rendição da Alemanha. Esse dia ficou considerado como o Dia da Vitória na Europa. No entanto no Extremo Oriente a guerra prosseguia por mais quatro meses, até a rendição do Japão em setembro de 1945.
A rendição do Japão se deu pelo fato
a) da rendição incondicional e conjunta da Alemanha, Itália e Japão.
b) da explosão das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.
c) Da reunião de São Francisco, onde se estabeleceu as bases para a ONU.
d) De acordo com a Itália e o Japão e a rendição incondicional da Alemanha.

12 Podemos apontar como uma das principais causas da Segunda Guerra Mundial
a) a rivalidade política e militar entre Alemanha e Itália no final da década de 1930.
b) o surgimento e fortalecimento, na década de 1930, de governos totalitários na Europa, com objetivos expansionistas e militaristas.
c) a política expansionista da França, que invadiu e conquistou vários territórios na Europa e na África no final da década de 1930.
d) a aliança militar estabelecida por Itália, Alemanha e Estados Unidos no começo da década de 1930.

13 Qual das alternativas abaixo aponta o marco inicial da Segunda Guerra Mundial?
a) O ataque do Japão à base militar norte-americana de Pearl Harbor.
b) Os diversos bombardeios britânicos a várias cidades alemãs.
c) A invasão da Polônia pelas forças armadas da Alemanha em 1º de setembro de 1939.
d) O estabelecimento de acordos militares entre Alemanha, Itália e Japão.

14 Na Segunda Guerra Mundial, o bloco militar conhecido como Eixo era composto pelos seguintes países
a) Alemanha, Itália e Japão.
b) França, Inglaterra e Estados Unidos.
c) Alemanha, Itália e Rússia.
d) Inglaterra, Estados Unidos e Rússia.

15 Sobre o final da Segunda Guerra Mundial, é verdadeiro afirmar que
a) Estados Unidos e Grã-Bretanha foram os países derrotados e tiveram que reconhecer o domínio alemão na Europa.
b) embora a guerra tenha terminado em 1945, o Japão assinou a rendição apenas em 1948.
c) Alemanha, Itália e Japão saíram derrotados, marcando o fim dos governos fascistas na Europa.
d) Japão, Estados Unidos e França foram os países que mais saíram fortalecidos politicamente após a Segunda Guerra Mundial.

16 Leia o poema e depois responda.
A rosa de Hiroshima/“Pensem nas crianças/Mudas telepáticas/Pensem nas meninas/Cegas inexatas/Pensem nas mulheres/Rotas alteradas/Pensem nas feridas/Como rosas cálidas/Mas oh não esqueçam/Da rosa da rosa/Da rosa de Hiroshima/A rosa hereditária/A rosa radioativa/Estúpida e inválida/A antirrosa atômica/Sem cor sem perfume/Sem rosa
Sem nada
MORAES, Vinicius de. Antologia Poética. Rio de Janeiro: José Olympo, 1977
Podemos considerar que o texto acima debate
a) a herança terrível das bombas atômicas atiradas em Hiroshima e Nagasaki, no final da 2ª Guerra Mundial, levantando a necessidade de sua lembrança para defendermos a paz.
b) a poesia não trata dos problemas relativos à bomba atômica, à guerra e à paz.
c) as armas atômicas nunca seriam usadas como forma de poder entre as potências mundiais.
d) a paz só será garantida com a utilização de armas atômicas.

17 Os Estados Unidos iniciaram sua participação na Segunda Guerra Mundial motivados pelo(a)
a) ataque japonês a base naval americana de Pearl Harbor.
b) invasão da França por tropas italianas.
c) política de implantação do Plano Marshall, que favorecia a industrialização do país
d) apoio dado pela ONU aos países latino-americanos participantes do conflito
Bolívia

18 O ataque à base naval de Pearl Harbor ocorreu em 07 de dezembro de 1941, onde a marinha americana foi atacada pelos japoneses. Esse acontecimento tornou-se um dos mais decisivos para o desfecho da Segunda Guerra Mundial. Esse ataque
a) representou a primeira grande derrota dos aliados, uma vez que os japoneses passaram a utilizar armas atômicas contra cidades asiáticas, porque estas defendiam os aliados.
b) criou condições favoráveis para os aliados na luta contra as forças nazi-fascistas, pois foi um fato histórico decisivo para a entrada dos Estados Unidos da América na guerra.
c) contribuiu para o aumento do poderio estratégico e militar dos alemães, haja vista o aniquilamento quase total das forças americanas e de seus aliados no Leste Europeu.
d) marcou a derrota final dos países que faziam parte da Tríplice Entente, tornando-se o símbolo da restauração da democracia e do liberalismo em toda a Europa.

19 Na batalha de Stalingrado os soviéticos impuseram a maior derrota ao exército alemão. Essa vitória pôs fim ao mito de invencibilidade alemã e representou o início da contra-ofensiva soviética. Um grande aliado natural em favor dos soviéticos na luta contra os alemães foi
a) o rigoroso verão russo, responsável pela fuga dos alemães.
b) as chuvas fortíssimas.
c) o rigoroso inverno russo, semelhante ao que ocorreu com a França de Napoleão Bonaparte.
d) os terrenos de difícil acesso.

20 Observe a imagem:
Ela retrata o Holocausto, que foi o extermínio deliberado do povo
a) italiano.
b) judeu.
c) japonês.
d) russo.


segunda-feira, 5 de junho de 2017

"Anos felizes" e "1929"


- "Anos felizes" ou "Anos dourados" e "Crise de 1929" ou "Grande Depressão".
- O privilégio dos EUA durante a Primeira Guerra e seu enriquecimento posterior: o fornecimento de armas e alimentos para nações europeias.
- O acúmulo de capitais estadunidenses e o aumento de impostos sobre os produtos estrangeiros.
- A década de 1920 e os "anos felizes": a prosperidade e o otimismo dos EUA.
- "A propaganda estimula o consumo e ajuda o crescimento do país".
- American way of life: consumir, consumir e consumir o que há de mais moderno.



# Altos investimentos em pesquisa, novas fontes de energia produção em larga escala.



- Os altos e frequentes investimentos na Bolsa de Valores de New York.
- A compra e a venda de ações e o lucro fácil dos acionistas e empresários.
- Adiante, os valores da ações não correspondiam às condições das empresas.
- Em 24 de outubro de 1929, despencam os preços das ações: crash da Bolsa.



# Causas do crash: a concentração de riqueza nas mãos de poucos; o descompasso entre o crescimento dos salários e o aumento dos lucros; a concorrência entre os EUA e a Europa no mercado internacional - após a sua recuperação da Primeira Guerra; e a crise agrícola. [Crise de superprodução!]



# Consequências do crash: os agricultores perderam terras para bancos; indústrias faliram; enfraqueceram a produção; desprezaram a massa trabalhadora; o governo cortou gastos no exterior e parou de conceder empréstimos.


# A estagnação da produção e do consumo musical do jazz.
Louis Amstrong (1901-1971)
Nat King Cole (1919-1965) e Herbie Hancock (1940)

Billie Holiday (1915-1959)


Nina Simone (1933-2003) e Amy Winehouse (1983-2011)


- A presidência de Franklin Roosevelt e as ideias econômicas de John Keynes.
- New Deal: o Estado deve intervir na economia.


# Principais medidas: o investimento em obras públicas; a destruição dos estoques agrícolas; o controle sobre os preços e a produção; a diminuição da jornada de trabalho; fixou-se o salário mínimo e criou-se o seguro-desemprego e a aposentadoria.


- O desemprego diminuiu, a indústria e a agricultura foram recuperadas e a renda nacional voltou a crescer.
- Para alguns políticos autoritários, as democracias liberais eram incapazes de resolver os problemas sociais.
- A solução para resolvê-los seria construir um governo forte, dirigido por um líder único.

Para pensar um pouco mais...





Fonte: http://parasabermaisdehistoria.blogspot.com.br/2013/03/crise-de-1929-fascismo-e-nazismo.html

domingo, 4 de junho de 2017

Atividade de História - 7º ano - junho

1. Qual das alternativas abaixo aponta uma das causas da Reforma Protestante do século XVI?
a) O enfraquecimento da burguesia comercial no século XV.
b) A crise enfrentada pela Igreja Católica desde o final da Idade Média.
c) O fortalecimento das religiões politeístas na Europa desde o começo da Idade Média (século V).
d) A Peste Negra do século XIV que afastou a maioria dos europeus da Religião Católica.
 
2. Sobre a Reforma Protestante em 1517, Martinho Lutero, contestou uma das práticas utilizadas pela Igreja Católica que na época era a venda de indulgências, que seria:
a) Era o perdão que a Igreja oferecia as pessoas que se arrependiam de seus pecados. Tratava-se de uma espécie de carta vendida pela Igreja para os fiéis, a carta de indulgência poderia perdoar até pecados que as pessoas pudessem cometer no futuro.
b) A arrogância do clero diante dos pobres, miseráveis e mendigos, que eram expulsos das cercanias da Igreja pelos monges e padres.
c) O perdão concedido gratuitamente na extrema-unção, ou seja, quando o fiel estava à beira da morte.
d) O perdão concedido a criminosos que roubassem as esmolas dos pedintes e mendigos.

3. A Igreja não ficou de braços cruzados diante dos movimentos da Reforma. Em 1545, o papa Paulo III convocou uma reunião do alto clero para montar uma política de combate aos protestantes. Essa reunião ficou conhecida como:
a) Concílio Vaticano I.                                                                   
b) Concílio de Trento.                            
c) Concílio Vaticano II.                                                                
d) Concílio de Clermond-Ferrant.

4. Remonta ao Século XVI a mensagem religiosa associado à ideia de que "no mundo comercial e da concorrência, o êxito ou a bancarrota não dependem da atividade ou da aptidão do indivíduo, mas de circunstâncias independentes dele"
         (Friedrich Engels - DO SOCIALISMO UTÓPICO AO SOCIALISMO CIENTÍFICO).
Assinale o nome do movimento protestante que pregava a salvação da alma e apresentava princípios básicos apoiados na prática econômica da burguesia nascente.
a) Luteranismo.                         
c) Jansenismo.
b) Medievalismo.                            
d) Calvinismo.

5. João Calvino defendia que alguns homens já nascem salvos pela vontade de Deus e que o indício dessa salvação, seria o acúmulo de riquezas através das virtudes e do trabalho.
Tal princípio ia de encontro aos interesses da burguesia. 
O texto acima refere-se:
a) à livre interpretação da Bíblia.
b) à predestinação
c) às indulgências.
d) ao Ato de Supremacia.

6. Revoltado com a venda de indulgências, o despreparo dos padres e a arrogância da Igreja Católica, Martinho Lutero elabora um documento com 95 teses protestando contra esses e outros abuso cometidos pelo clero católico. Com isso, Lutero dá início a um movimento religioso que se contrapõe aos dogmas da Igreja e que ficou conhecido como:
a) Reforma da Fé.                           
c) Reforma Protestante.
b)Reforma Eclesiástica.                 
d)Reforma Religiosa.

7. Os questionamentos de Lutero marcaram o nascimento de religiões protestantes no mundo, dando origem a várias seitas protestantes e abalando ainda mais as estruturas da Igreja Católica. Marque as alternativas que correspondem a essas principais religiões protestantes.
I. Luteranismo, que se caracterizou principalmente pela relação mais direta entre os fiéis e Deus e pela simplificação dos rituais religiosos.
II. Presbiterianismo, que se caracterizou pela salvação aos abençoados por Deus e a condenação aos pecadores.
III. Calvinismo, que se caracterizou pela crença de que existiriam pessoas predestinadas por Deus à salvação na vida eterna.
IV. Uma das características do Anglicanismo era o celibato voluntário dos sacerdotes.
Estão corretas as alternativas:
a) l e ll.                         
c) l, lll e lV.
b) l, ll e lll.                   
d) ll, lll e lV.

8. Leia o texto abaixo:
“Deus chama cada uma para uma vocação particular cujo objetivo é a glorificação dele mesmo. O comerciante que busca o lucro, pelas qualidades que o sucesso econômico exige: o trabalho, a sobriedade, a ordem, responde também ao chamado de Deus, santificando de seu lado o mundo pelo esforço, e sua ação é santa”.
O trecho acima é uma pregação de um dos principais líderes da Reforma Protestante do século XVI. Quem é esse líder.
a) Martinho Lutero.                                      
c) João Calvino.
b) Henrique VIII.                                            
d) Carlos V.

9. A principal crítica de Martinho Lutero à Igreja foi:
a) a divisão do clero em secular e regular.
b) a venda de relíquias santas aos fiéis, oferecendo em troca a salvação.
c) a cobrança de indulgências.
d) a construção da Basílica de São Pedro.

10. Sobre a Contrarreforma (reação da Igreja Católica à Reforma Protestante) é correto afirmar que:
a) O movimento denominado contrarreforma não teve o apoio do papa e dos bispos católicos, pois eles acreditavam que não havia nada o que fazer para evitar o avanço do protestantismo na Europa.
b) Ela conseguiu enfraquecer e terminar com todas as religiões protestantes já no século XVI.
c) Ela conseguiu instalar a paz religiosa na Europa, evitando qualquer tipo de perseguição ou conflito religioso.

d) Ela retomou o Tribunal do Santo Oficio, determinou a catequização de indígenas nas terras descobertas e criou o Índice de Livros Proibidos.


...

Relações Humanas - Resgatando Valores

 ENSINO FUNDAMENTAL II - 2017
DISCIPLINA: RELAÇÕES HUMANAS
TEMA: RESGATANDO VALORES

1. OBJETIVOS
• Resgatar a autoestima dos alunos melhorando a convivência, possibilitando facilitar sua expressão de sentimentos, medos, desejos e sonhos. Visando levá-los a reflexão e assim a terem ‘renovadas’ perspectivas de vida. Enriquecendo a compreensão e vocabulário.
2. ROTEIRO
• Em círculo cada aluno, em segredo recebe o nome de um sentimento, o qual deverá ser representado por meio de gestos, mímica: Alegria, tristeza, saudade, angústia, medo, culpa, raiva; • Os demais colegas devem adivinhar;
3. ROTEIRO
• Listar o nome dos sentimentos;
• Buscar o significado dos mesmos no dicionário em duplas;
• Compartilhar situações vividas destes sentimentos;
• A partir de recortes de revistas montar painel de figuras que representem esses sentimentos;
• Analisar e debater com o grupo;
• Listar as conclusões do grupo;
4. MATERIAL DE APOIO
• Texto -  Gentileza gera gentileza




Nome completo:          
José Datrino
Nascimento:             
Morte:               
29 de maio de 1996 (79 anos)  Mirandópolis, São Paulo
Nacionalidade:
José Datrino, mais conhecido como Profeta Gentileza e/ou José Agradecido (Cafelândia11 de abril de 1917 – Mirandópolis29 de maio de 1996), foi uma personalidade urbana carioca, espécie de pregador, que se tornou conhecido por fazer inscrições peculiares sob um viaduto situado na Avenida Brasil, na zona portuária do Rio de Janeiro, onde andava com uma túnica branca e longa barba.  José Agradecido,  que, por onde passou, deixou sua marca, escrevendo mensagens, incentivando a gentileza, em pilastras de viadutos e de passarelas. As mensagens foram pintadas no alto para serem lidas pelas pessoas que viajavam nos ônibus.
"Gentileza gera gentileza" é sua frase mais conhecida.


GENTILEZA GERA GENTILEZA
                       
                   Diga muito obrigado(a) e receba um sorriso de volta, elogie uma pessoa e deixe-a agradecida, cumprimente ao entrar no elevador e arrancará uma resposta até do seu mal-humorado vizinho... São pequenas gentilezas que deviam fazer parte do dia-a-dia mas que ultimamente andam meio-esquecidas.
                        Então, dê o primeiro passo: faça você a gentileza, não aguarde que ela parta do outro. Mesmo meio-adormecido, sonolento pela manhã, sorria para a primeira pessoa que encontrar no seu caminho. Prossiga assim até chegar ao seu destino e verá que vai receber tantos sorrisos e cumprimentos de volta que a sua disposição vai até mudar. 
                        Se for comprar alguma coisa, pedir uma informação ou simplesmente pagar a condução, use um “bom dia” / “boa tarde”  e “por favor”, antes de dizer qualquer coisa, e lembre-se de dar um sorriso. Essas palavras têm o poder de abrir portas e de tornar você conhecido(a), de uma forma simpática, por onde passa. Mesmo no caso dos mais tímidos, o sorriso não exige um grande esforço e cria uma boa comunicação.
Gentileza faz falta em qualquer lugar, especialmente em casa e com os amigos. É que com os mais próximos às vezes nos esquecemos de ser amáveis e de agradecer sempre que nos ajudam e isso acaba criando um clima ruim. É um engano pensar que não precisamos agradecer ou elogiar quando as pessoas estão apenas cumprindo suas obrigações. Precisa sim, e elas adoram! Então, mostre para a empregada que limpa seu quarto o quanto você aprecia isso e agradeça porque ela faz tudo parecer mais bonitinho. Faça isso com todos que você conhece e que com o seu trabalho lhe servem de alguma forma.
(Profeta Gentileza)


Os Dez Mandamentos das Relações Humanas 

1. FALE COM AS PESSOAS
Nada há tão agradável e animado quanto uma palavra de saudação, particularmente hoje em dia, quando precisamos mais de sorrisos amáveis.


2. SORRIA PARA AS PESSOAS
Lembre-se de que acionamos 72 músculos para franzir a testa e somente 14 para sorrir.

3. CHAME AS PESSOAS PELO NOME
A música mais suave para muitos ainda é ouvir seu próprio nome.

4. SEJA AMIGO E PRESTATIVO
Se você quiser ter amigos, seja amigo.

5. SEJA CORDIAL
Fale e aja com toda sinceridade: tudo o que você fizer, faça-o com todo prazer.

6. INTERESSE-SE SINCERAMENTE PELOS OUTROS
Lembre-se de que você sabe o que sabe, porém você não sabe o que os outros sabem. Seja sinceramente interessado pelos outros.

7. SEJA GENEROSO EM ELOGIAR, E CAUTELOSO EM CRITICAR
Os líderes elogiam. Sabem encorajar, dar confiança e elevar os outros.

8. SAIBA CONSIDERAR OS SENTIMENTOS DOS OUTROS
Existem três lados em uma controvérsia: o seu, o do outro, e o lado de quem está certo.

9. PREOCUPE-SE COM A OPINIÃO DOS OUTROS
Três comportamentos de um verdadeiro líder: ouça, aprenda e saiba elogiar.

10. PROCURE APRESENTAR UM EXCELENTE TRABALHO.
O que realmente vale em nossa vida é aquilo que fazemos para os outros.


O Segredo das Boas Relações 

São normas para um bom relacionamento: 
→Dedicar;
→Compartilhar;
→Ser paciente;
→Compreender;
→Dialogar;
→Amar;
→Ser sincero;
→Ter empatia;
→Respeitar as pessoas;
→Facilitar maior integração;
→Buscar maior aperfeiçoamento

Enfim, a orientação maior em relações humanas consiste em aprender o quanto pudermos sobre a natureza humana, tal como ela é, e não como pensamos que ela deveria ser. As boas relações dependem principalmente de nós mesmos. Além de confiar nos outros, confiemos em nós. Sob vários aspectos, ser hábil em relações humanas consiste em buscar sintonia com a percepção de outras pessoas, não intelectualmente, mas sim emocionalmente.